Capítulo Único

Sob Pressão

Capítulo Único

     — Devagar, cara... com cuidado.
     O conselho lhe veio ao pé do ouvido; à sua frente o sensível mecanismo que ele tinha que desarmar.
     — Um movimento em falso e essa merda explode. Vai morrer todo mundo!
     A resposta foi um olhar de soslaio, ele sabia da responsabilidade que tinha nas mãos e não precisava ser pressionado. Fez-se silêncio; ele podia sentir a gota de suor que lhe escorria morosamente pela têmpora e as batidas aceleradas de seu coração. Prendeu a respiração e fitou o emaranhado de fios que parecia desafiá-lo. Seus dedos moviam-se lentamente com precisão cirúrgica para desarmar a bomba. Ele era todo concentração: fora o artefato explosivo, todo o resto era um borrão. Um único e preciso movimento era o que ele precisava; um corte certo ou errado e ele seria o herói da pátria ou faria tudo ir pelos ares... 
     — Que jogo é esse? – Questionou de repente a irmãzinha de um dos garotos, que se aproximou sem que eles se dessem conta.
     Uma simples distração, um deslizar abrupto sobre a alavanca do joystick e a tela foi tomada por um cogumelo em chamas; "GAME OVER" piscou em letras garrafais. Os adolescentes contraíram os rostos em raiva e socaram o estofado antes de lançarem olhares furiosos para a menina que, assustada, saiu mais que depressa da sala escura iluminada apenas pela luminosidade da TV. 
     — Você pelo menos salvou o progresso, né? 
     O garoto com o joystick nada disse, seu sorriso torto e sem graça respondera à pergunta.