O Perfume das Rosas

O Perfume das Rosas

O Perfume das Rosas

Seu Inácio é atencioso e exemplo de homem dedicado com a esposa. Todos os dias, ele chega do trabalho com uma rosa nas mãos, um sorriso no rosto e esperança no olhar.

Vai direto até a esposa, dá-lhe a rosa e um beijo na testa e fala: -Eu te amo e sempre estarei com você. Ela olha nos olhos dele como se duvidasse que aquele homem a amasse tanto e que todos os dias lhe dissesse a mesma frase com amor e zelo.

Ela pega a rosa e cheira, sente um perfume tão mágico que a faz feliz. Timidamente, ela dá um sorriso e diz: Eu também.

A vida deles é regada a muito amor e nas horas de irritação e nervosismo, muita paciência.

Conversando com a empregada, a qual tem muita confiança, ele falava da esposa.

Temos somente um ao outro. No início, foi muito difícil, ela nem me queria por perto. Não lembra do nosso filho que morreu há meses e com paciência ela aceitou ficar aqui. E todos os dias ao falar que a amo, ela me responde eu também, porque a doença ainda não me apagou de sua memória e essa é a chave do nosso casamento: o amor.

No dia seguinte, dona Carmem, conversava no quarto com suas rosas.

Não sei quem é o senhor que cuida tão bem de mim, nem sei como cheguei nesta casa. Mas ele me ama e é bom, por isso, eu sempre o respondo com eu também.