Missão Terra: Relatório nº 03

Missão Terra: Relatório nº 03

Missão Terra: Relatório nº 03

     Eu nunca havia visto a Terra neste estado. Mesmo anos atrás, quando estive aqui pela última vez e a guerra entre os humanos já havia atingido grandes proporções. Mas ontem, assim que a missão iniciou o reconhecimento do território, quase não pude acreditar no que eles haviam conseguido fazer. O cenário era desolador!

     Para além da destruição do planeta, a situação dos humanos é a pior possível. Os poucos que restaram parecem ter adquirido uma enfermidade que os deixa completamente fragilizados. É de se admirar que ainda estejam vivos!     

     Estamos enfrentando poucas dificuldades para conduzir os sobreviventes às nossas naves para os cuidados e exames emergenciais. A maioria deles encontra-se alheia aos acontecimentos e reage passivamente à nossa intervenção. São poucos os que resistem ou gritam ao ser encontrados. Suspeitamos que estes últimos estejam tendo alucinações.

     Segundo o Doutor Rotuod, o principal sintoma desta enfermidade é uma severa perda de memória. Algo similar à demência do Alzheimer, transtorno que afetava principalmente os idosos no início do século XXI. Por alguma razão, em meio à destruição, os sobreviventes começaram a esquecer.    

     O caso mais curioso surgiu hoje pela manhã: uma jovem agarrada a um livro de poesia, que ela simplesmente não sabe para que serve, mas mantém junto a si, provavelmente por hábito. Enquanto ela dormia, aproveitei para examiná-lo. Em sua última página, encontrei a frase que ainda ecoa em minha mente, como um reflexo da situação dos humanos: “Afinal, o que é que alguém é quando não se lembra mais?”.