Meio poema

Meio poema

Meio poema

Meia luz
Meia lua
Meia vida

Longo corredor
Silêncio
Silencio

Augusto corredor
Me curvo
Angustio

Paredes frias
Janelas retas
Sombras vazias

Horas eternas
Pensamentos desordenados
Pensamentos...

Serão meus?

Me atravessam
O cérebro, invadem
O corpo, alfinetam

Me escapam
Dissipam-se
Retornam
Me tomam

Consomem
A cabeça, martelam
Tanto...

Me encolho
Tento me proteger
Defender
Nada a fazer

Durmo,
Ou tento
O tic-tac me tortura
Será um deles?
Me abraço ao travesseiro
Me desespero

Dói
Dentro
Não sei onde
Por quê?
Por quêêêê?

Durmo(?) enfim

Amanhece,
E de novo
Meia luz
Meia lua
Meia vida

Corredor
Escuro
Pensamentos
Angústia
Apatia
Dor
Cama
Mais pensamentos
Meus?
Me esperam
Torturam
Corro
Fujo
Não consigo
Me perseguem
Quem?
Não vejo
Não me vejo
Não entendo

Acordo
Durmo
Levanto
Deito

Meia luz
Meia lua
Meia vida

Quero luz
Lua cheia
Vida inteira