A mulher que só ouvia

A ouvinte

A mulher que só ouvia

Passava os dias como ouvinte de suas clientes, o que tinha de paciência compensava na suavidade das mãos. Durante a massagem tinha cliente que reclama do trabalho, outras cansadas da vida, algumas não aguentam mais a maternidade.

Uma especificamente sempre falava do marido. Um dia elogiava, noutro metia o pau. Reclamava que ele trabalhava muito e depois se gabava das flores que ganhava. Até que começou a reclamar da suposta traição do marido. Disse estar desconfiada que o marido não fazia hora extra, mas que estaria com outra mulher, afinal ela encontrou uma sacola de loja de lingerie escondida no carro, mas ele ainda não havia lhe dado o presente.

A cliente fazia massagem para estar bela para o marido mas talvez isso não fosse suficiente. A massagista, como sempre, ficava só a ouvir, conselhos guardava para si.  No máximo um murmúrio concordando.

Na saída da cliente o marido veio buscá-la, trazia duas rosas nas mãos. A cliente se vangloriou. Ao fechar a porta, a massagista deu uma piscadela para o marido deixando aparecer a alça do sutiã azul.